A estrela do boxe Ryan Garcia pede desculpas por uso de insultos raciais


O astro do boxe Ryan Garcia se desculpou na sexta-feira pelo uso de insultos raciais contra negros e pelos comentários depreciativos que fez sobre muçulmanos durante uma recente transmissão ao vivo nas redes sociais.

“Assumo toda a responsabilidade pelas minhas palavras”, escreveu Garcia como parte de uma série de postagens no X. “Desculpe a todos que ofendi.”

Garcia continuou dizendo que é “incompreendido”, está lutando contra o abuso de substâncias e está “indo para a reabilitação”.

Seu pedido de desculpas veio um dia depois que o presidente do Conselho Mundial de Boxe, Mauricio Sulaiman, anunciou que seu órgão sancionador estava expulsando Garcia por suas ações durante a transmissão ao vivo.

“Rejeitamos qualquer forma de discriminação”, escreveu Sulaiman. “Temo pelo bem-estar de Ryan, pois ele recusou várias tentativas de nossa ajuda com saúde mental e abuso de substâncias.”

Oscar De La Hoya, promotor de Garcia, denunciou o comportamento de seu lutador em uma declaração contundente emitida na sexta-feira no X.

“Não há espaço para ódio ou intolerância na minha empresa. Ponto final. Condeno as palavras de Ryan nos termos mais fortes possíveis”, escreveu De La Hoya. “Vejo que ele se desculpou, e isso é um começo – mas é apenas um começo para ganhar de volta a confiança e o respeito daqueles de nós que o apoiaram e continuam a apoiá-lo. Esperamos que Ryan use o tempo que tem longe do esporte para resolver os problemas que discutiu publicamente. Estamos prontos para ajudar no que pudermos.”

Garcia está atualmente cumprindo uma suspensão de um ano da Comissão Atlética do Estado de Nova York após testar positivo para a droga para melhorar o desempenho ostarina. Essa suspensão é retroativa à vitória de Garcia sobre Devin Haney em 20 de abril, que desde então foi revertida para uma no-contest.

Garcia negou veementemente ter usado conscientemente drogas para melhorar o desempenho. Dois suplementos listados em formulários de controle de doping, que foram enviados junto com as coletas de amostras de urina de Garcia em 19 e 20 de abril, mostraram a presença da substância proibida.

Garcia, de 25 anos, também foi preso em junho sob acusações de vandalismo decorrentes de um incidente em um hotel em Beverly Hills, Califórnia, que o acusou de causar danos estimados em US$ 15.000.

A família de Garcia abordou seu comportamento preocupante recente, bem como seus comentários nas redes sociais, afirmando que estes “não condizem com o verdadeiro caráter ou crenças dele ou da nossa família”.

“Nossa família não apoia de forma alguma nenhuma declaração [Garcia] fez em relação à raça ou religião — estas não refletem quem Ryan realmente é e como ele foi criado”, dizia a declaração da família. “Aqueles que conhecem Ryan podem atestar esse fato. Ryan tem sido aberto sobre sua luta contínua com a saúde mental ao longo dos anos e, como família, estamos comprometidos em garantir e encorajar que ele receba a ajuda necessária para navegar neste momento tão desafiador e abordar seu bem-estar imediato e de longo prazo.”

Informações da Associated Press foram usadas nesta reportagem.





Fonte: Espn