Delator da Lava Jato afirma ter lavado dinheiro para Grupo Silvio Santos

A operação Lava Jato acaba de chegar às portas do SBT. Adir Assad, operador financeiro do esquema, afirmou ter lavado milhões de reais para o Grupo Silvio Santos!

De acordo com a Folha de S.Paulo, o esquema teria acontecido por meio de contratos fraudados de patrocínio esportivo. As informações estão em anexos de um acordo de colaboração premiada firmado com integrantes da Lava Jato.

Depoimentos de Adir Assad foram compartilhados entre procuradores do Ministério Público Federal no aplicativo Telegram, conteúdo obtido pelo The Intercept Brasil.

O nome de Silvio Santos não é citado diretamente nas conversas, mas o sobrinho do apresentador e empresário, Daniel Abravanel e a empresa que comercializa a Tele Sena surgem nos depoimentos.

De acordo com Adir Assad e seu irmão, Samir, o esquema funcionou em duas ocasiões. No fim dos anos 1990, ele teria firmado contratos superfaturados de patrocínio entre suas empresas e pilotos da Fórmula Indy e da categoria Indy Lights. Naquela época, o operador financeiro negociava com Guilherme Stoliar, hoje presidente do Grupo Silvio Santos. A operação movimentou R$ 10 milhões na ocasião.

Depois, a partir dos anos 2000, o delator alega ter feito contratos de imagem e patrocínio na Fórmula Truck. A maior parte do dinheiro era devolvido em espécie a um diretor financeiro chamado Vilmar em um escritório do Grupo Silvio Santos. A Liderança Capitalização, responsável pela Tele Sena, teria desembolsado ao menos R$ 19 milhões para uma das firmas de Adir Assad entre 2006 e 2011. Essa segunda fase começou após acerto com Daniel Abravanel e o pai dele, Henrique, irmão de Silvio Santos.

Apesar do depoimento ter sido firmado e homologado na Justiça em 2017, os detalhes do caso e da apuração seguem até hoje sob apuração.

Em resposta à Folha de S.Paulo, o SBT e o Grupo Silvio Santos afirmaram em nota que, “por desconhecerem o teor da delação” de Adir Assad. “Aproveitamos para enfatizar que as empresas do GSS sempre pautaram suas condutas pela melhores práticas de governança e dentro dos estritos princípios legais”, diz o comunicado.

Os advogados de Adir Assad não quiseram comentar os termos do acordo de delação do operador financeiro.

Fonte: EntrePop