Juliano Cazarré é detonado nas redes sociais, motivo: Masculinidade

Magno (Juliano Cazarré)

Um post de  no Instagram gerou muita discussão entre o ator e os seguidores neste domingo (03/11/2019). O global foi acusado de machismo na rede social.

A postagem dele era o vídeo de uma família de gorilas, mas o que pegou mal foi a legenda que acompanhava a filmagem. “A masculinidade é uma construção social… Só que não! PROVER E PROTEGER: a masculinidade faz do mundo um lugar mais seguro. PS1: Quem tem um pai legal sabe. PS2: Esse gorila é mais cavalheiro do que muito homem por aí… dorme com esse barulho”, escreveu o ator.

Após a repercussão, muitos seguidores fizeram críticas a ele, que rebateu os comentários. “A crítica à masculinidade frágil não diz respeito à força, à natureza… Ninguém critica o homem que cuida da sua família. O que se critica é a construção de que o homem não pode sofrer, não pode chorar”, disse uma seguidora. Cazarré então respondeu: “Quando qualquer coisa é motivo para a pessoa descarregar seu discurso ideológico. Parabéns, a lavagem cerebral que você sofreu foi completada com sucesso”.

Não passou muito tempo para que uma chuva de críticas invadisse a rede social do ator, que resolveu bater boca com os seguidores. “Que decepção. Quando uma mulher é solteira é porque um homem cheio de masculinidade não assumiu a consequência dos seus atos e nem as suas responsabilidades”, disse uma mulher, indignada. “O lixeiro já passou na sua rua? Era um homem ou uma mulher no caminhão?”, escreveu Juliano.

Juliano Cazarré está escalado para a nova novela da , Amor de Mãe, que irá ao ar ainda em novembro, no lugar de A Dona do Pedaço. “Amor de Mãe é uma reverência à instituição que é a mãe brasileira. Essa mulher guerreira, honesta e que faz tudo para criar seus filhos do lado certo da vida. Vamos celebrá-la através de três histórias comoventes sobre esse amor capaz de mudar o mundo”, diz a roterista Manuela. E Villamarim: “Nossas personagens são pessoas comuns, nada maniqueístas. Suas histórias são como a vida real”.

Fonte: Metropoles