Auxílio forma cidadãos dependentes do Estado? Internautas debatem


Auxílios do Governo acabam formando cidadãos dependentes do estado? A pergunta acabou gerando um grande debate nesta semana nas redes sociais. E essa discussão ganhou mais um ingrediente quando o próprio Presidente Jair Bolsonaro decidiu opinar sobre o caso.

Na visão de Bolsonaro, os auxílios seriam ruins justamente porque deixariam os cidadãos acomodados em suas casas. Na visão dele, na medida que essas pessoas recebem o dinheiro do Governo, elas não estariam mais confortáveis para trabalhar.

Essa opinião não é nova. Na verdade, desde os tempos do Bolsa Família do PT, esse tema volta para o cenário político. De um lado, muita gente pensa que esses benefícios são importantes para ajudar na luta contra a fome. No entanto, várias outras pessoas dizem que esses programas acabam atrapalhando a situação.

“É um absurdo tratar esses auxílios como esmola do estado. Isso não é um favor. Todas os cidadãos pagam impostos todos os dias. Inclusive os mais pobres. Na verdade esse dinheiro é deles e eles precisam da ajuda do Governo Federal”, disse uma internauta no Twitter.

“É claro que é importante ajudar as pessoas, mas é preciso ter cuidado para não pagar esses programas por muito tempo. Quando isso acontece, os indivíduos se acomodam com esses valores e não querem crescer na vida”, disse uma outra internauta em um comentário de um post no Facebook.

Auxílios para os mais pobres

De acordo com informações do Ministério da Cidadania, o valor médio de pagamentos do Bolsa Família é hoje de R$ 190. Isso quer dizer que algumas pessoas recebem um pouco mais do que isso, e outras recebem um pouco menos do que isso.

No geral, isso significa dizer que se esses indivíduos vivessem apenas do Bolsa Família não conseguiriam pagar uma cesta básica nas principais cidades do país. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, o valor dessa cesta costuma passar dos R$ 600 em média com muita facilidade.

Recentemente, o Presidente Jair Bolsonaro garantiu que os valores dos repasses do Bolsa Família irão aumentar a partir do próximo mês de agosto. De acordo com ele, essa média sairia dos R$ 190 para R$ 250. No entanto, esse aumento também não seria suficiente para pagar essa cesta básica.

“Cidadãos que não crescem”

Até por isso, a grande maioria dos cientistas sociais acredita que não faz sentido dizer que as pessoas que recebem esses auxílios seriam acomodadas. É que por essa lógica, não dá para dizer que alguém consegue se acomodar recebendo R$ 190 por mês.

O empresário e político João Amoêdo (NOVO) disse recentemente que o Bolsa Família é um “grande programa do Governo”. De acordo com ele, os repasses para os mais pobres são importantes. No entanto, ele afirma que o Planalto deveria comemorar quando as pessoas saíssem do projeto e não quando entrassem nele.

Há algumas semanas, o Ministério da Cidadania fez um post comemorando o número de beneficiários do Bolsa Família. É que no último mês de março, eles pagaram o benefício para um número recorde de pessoas. Esse número, aliás, deve crescer a partir do próximo mês de agosto.

E você? Qual a sua opinião sobre o assunto? Auxílios do Governo são importantes ou só servem para acomodar a população?


Fonte: Notícias Concursos