Matadouro de Penedo - Foto Google (2012)
Matadouro de Penedo – Foto Google (2012)

Fiscalização Preventiva Integrada (FIP) realizou algumas ações durante toda essa segunda-feira, 19, na cidade de Penedo, que culminou na interdição do Matadouro do município ribeirinho. No ato de interdição feito pela IDEAL o órgão fiscalizador alegou que o médico-veterinário não estava cadastrado junto ao seu conselho como responsável pelo matadouro penedense.

Quando a equipe chegou ao local, encontrou um animal sendo sacrificado a golpes de machado. O boi era clandestino, ou seja, não possuía o certificado apontando a sua classificação de sanidade. Isso quer dizer que, após a carne ser preparada e colocada à venda, os consumidores poderiam comer um produto sem qualquer garantia de qualidade. A carne foi recolhida para ser incinerada.

A pistola pneumática, que serve para fazer o atordoamento do animal antes de ele ser sacrificado, estava quebrada. E, por conta disso, os funcionários utilizavam um machado para matar os bois. A serra também não funcionava e o gado era esquartejado com outros instrumentos inadequados. “Além disso, a água utilizada para lavar os animais e o sangue e as fezes deles corriam para um curso d’água que desemboca no Rio São Francisco”, explica o promotor Alberto Fonseca.

Matadouro nunca recebeu nenhuma notificação

Em entrevista coletiva na manhã desta terça (20), o Procurador Geral do Município de Penedo, Dr. Francisco Sousa Guerra, falou para imprensa penedense que entraves burocráticos fizeram com que o Matadouro fosse fechado.

Dr. Tico, como é conhecido, afirmou que o matadouro funciona desde a década de 70 e até hoje nunca foi notificado para que o médico-veterinário pudesse se cadastrar em seu órgão competente.

Segundo o médico-veterinário, José Mota, há 15 dias que a pistola pneumática está quebrada e já teria sido providenciada o conserto da mesma, por isso que o gado estava sendo abatido com machado, explicou. Ainda sobre o assunto de sua licença, o responsável pelo matadouro explanou que trabalha como concursado há 21 anos e nunca foi exigido tal licença.

Vale salientar que em Penedo nunca foi identificado nenhum caso de doença originado por carne contaminada, mesmo sabendo que o Estado possui um índice de 30% de casos provenientes de carne contaminada.

Venda de carne é preocupante a partir de hoje

Ainda segundo o procurador do município, a partir de hoje é preocupante como o gado será abatido, pois os estabelecimentos comerciais precisam ser abastecidos pelo produto e com certeza haverá abate clandestino sem nenhum acompanhamento adequado.

O Município de Penedo proporcionará ainda uma audiência pública nesta semana com os marchantes de Penedo, no sentido de discutir essa nova situação do abate de carne na cidade ribeirinha.
Da Redação com informações do G1-AL

Comentários