Vereador coloca emenda e votação para aprovar Projeto de Lei da Previdência é adiada

Sessão foi marcada por agressões e até choro de vereador

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (29) mais uma sessão extraordinária da Câmara Municipal de Penedo. A reunião dos edis essa vez foi para tratar do projeto de lei que visa a criação do regime próprio de previdência para os servidores efetivos municipais. Esta sessão estava sendo aguardada por todos, não só os servidores, como também empresários e cidadãos penedenses.

Antes mesmo de abrirem as portas da sede da Câmara Municipal de Penedo, um bom número de servidores, e não servidores, já se encontravam na Pça. Barão de Penedo à espera do início da reunião. A cada chegada de pessoas que não eram funcionários públicos, uma boa parte dos efetivos falavam palavra de ordem e mostravam insatisfação com a chegada deles. 

No momento em que foi dada a permissão de entrada, o tumulto se instaurou no recinto. Alguns servidores municipais tentaram bloquear a entrada de quem não era funcionário público efetivo e isso causou até a vias de fato, rasgando a blusa de um rapaz que foi apenas para assistir a sessão pública.

Devido ao pequeno espaço para o número de pessoas presentes, algumas não conseguiram adentrar até o plenário e ficaram revoltadas por isso. A Polícia Militar foi chamada antes disso, e fez com que a ordem fosse restabelecida na Casa de Leis. Mesmo assim alguns ficaram nos corredores, gritando palavras de ordem contra a aprovação do projeto. A polícia então resolveu recuar estas pessoas até a porta, para que os funcionários da casa pudessem trabalhar com um pouco mais de calma.

No início da sessão, o Vereador Derivan Thomaz fez um requerimento para adiamento da votação do projeto de lei, o qual foi negado pela maioria, cerca de sete parlamentares recusaram o requerimento do edil.

Foi então que o Presidente, Júnior do Tò, ordenou que fosee lido do o projeto de lei, artigo por artigo. A leitura durou aproximadamente 1:30h e daí partiu para a terceira e última discussão. 

O primeiro a falar foi o Vereador Ronaldo Vicente. Visivelmente emocionado, o parlamentar falou que também é servidor público, e segundo ele, está sentindo na pele tudo isso. Ronaldo se dirigiu ao seu colega, Vereador Mano da Caçamba, e tentou com que ele se sensibilizasse com os mais de 1.500 servidores efetivos do município. Ele interrompeu sua fala após não conseguir conter a emoção.

Logo após foi a vez do Vereador Nelsinho usar da tribuna para discutir sobre o referido projeto. Também muito emocionado, Nelsinho divulgou que desde que foi eleito como vereador, nunca presenciou um episódio como este. O parlamentar também citou cada vereador como uma forma de sensibilizar para não aprovação do PL da Previdência Própria.

Derivan Thomaz também usou a fala regimental para explicar sobre seu requerimento de adiamento do projeto. Segundo ele, encontrou algumas irregularidades que foram constatadas no projeto de lei. Ele ainda alegou que este projeto não seria colocado em votação, pois já teve vereador colocando emenda e por isso daria direito de algum outro pedir vistas para análise.

Após a fala dos vereadores, foi colocada em votação a emenda do vereador Nelsinho. Por maioria dos edis ela foi aprovada. A emenda foi encaminhada para comissão para que os membros possam analisar. O Projeto de Lei deverá ser colocado em votação provavelmente no dia 02 de janeiro.

Já nesta sexta-feira (30) acontecerá uma outra votação, desta vez para o Projeto de Lei da reforma administrativa do município.