Segundo matéria veiculada na revista Istoé, edição 2525 de 11 de maio do corrente ano, o deputado federal Arthur Lira, filho do senador dançarino Benedito de Lira, está no meio de mais uma farra com o dinheiro público, ou seja, nosso suado dinheirinho.

De acordo com a matéria, Arthur Lira montou o processo de liberação de recursos da Saúde em forma de verba de custeio para os redutos dos parlamentares cooptados no período em que se abria a “janela partidária” para arregimentar políticos com mandato, a fim de aumentar o número de filiados. Inclusive, o ministro da Saúde do governo Temer, Ricardo Barros também está envolvido na enrolada, e foi o responsável em simplificar as regras para o repasse de dinheiro, aumentando as cotas do partido que é campeão em citações na Operação Lava Jato.

Parece que a manobra deu certo, o PP (Partido Progressista) conquistou a segunda maior bancada na Câmara, superando partidos como o MDB e o PSDB, ficando atrás apenas do Partido dos Trabalhadores. Ainda de acordo com a matéria, cada deputado além da liberação dos recursos, obtiveram a promessa de liberação de mais 2,5 milhões de reais do fundo partidário.

A tal manobra foi feita de forma tão escancarada que no mês de março, quando se abre a janela partidária, onde os políticos podem mudar de partido sem sofrerem sanções, houve um aumento expressivo de liberação orçamentária no valor de 9,3 bilhões de reais, sendo que nos meses anteriores, esse montante não ultrapassava a casa dos 6,5 milhões de reais.

Vale salientar que Lira, o filho, no âmbito da operação lava jato, é acusado de receber propina do presidente da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), além de ser citado no processo contra os taturanas, esquema na Assembleia legislativa de Alagoas que desviou dos cofres públicos cerca de 300 milhões de reais.

Tanto o pai quanto o rebento estarão disputando a reeleição nas eleições de outubro próximo, e com certeza aparecerão em Penedo, ou mandarão seus asseclas.

Comentários