Eleições 2018: Collor se compromete com agenda do setor produtivo alagoano

Collor se compromete com Agenda do Setor Produtivo e promete interlocução com empresariado

O senador e candidato ao governo de Alagoas nas eleições 2018, Fernando Collor, se comprometeu com as propostas da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de Alagoas. O compromisso foi assumido nesta segunda-feira, 02, na Casa da Indústria, sede das Federações da Indústria (Fiea), Comércio (Fecomércio) e Agricultura (Faeal).

Em nome das três entidades de classe, a Agenda foi entregue a Collor pelos presidentes da Fiea, José Carlos Lyra de Andrade; da Fecomércio, Wilton Malta; e da Agricultura, Álvaro Almeida.

Candidato do PTC nas eleições 2018, Collor declarou que “a democracia não aceita eleição com WO (sigla para a palavra em inglês ‘walkover’, que traduzida para a língua portuguesa significa “vitória fácil” ou, como se usa no mundo esportivo, vitória de um competidor individual quando não há adversários).

O candidato fez críticas ao que chamou de “ferocidade tributária”, referindo-se à política fiscal do atual governo, alvo principal de sua estratégia de campanha. Collor afirmou que chega a 25% o percentual de aumento das alíquotas fiscais no Estado entre 2015 e 2018, “um arrocho sobre o consumo de bens e serviços para as famílias alagoanas”.

“A ferocidade tributária cria novos encargos sob a forma de taxas que atingem, de forma indiscriminada, micro e pequenos empreendedores da mesma maneira que os grandes investidores, inibindo as iniciativas daqueles que buscam de forma digna e honrada suprir as necessidades de sobrevivência de suas famílias, forçando-os a escorregar para os labirintos da informalidade e do subemprego”, afirmou o ex-presidente.

Collor se disse surpreendido com as propostas que constam da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de Alagoas, ressaltando que as proposições do setor demonstram a falta de interlocução entre Estado e empresários.

“São cerca 200 propostas, que revela uma demanda reprimida enorme, uma absoluta falta de interesse do governo de interagir com o setor produtivo. São problemas que deveriam já ser de conhecimento do atual governo e não deveriam mais estar nessa relação”, disse Fernando Collor no debate que visa orientar o empresariado nas eleições 2018.

Respondendo às questões apresentadas pelos empresários, o candidato disse que pretende criar um programa de competitividade e produtividade, e câmaras setoriais para enfrentar as dificuldades de cada segmento da economia. Ele assumiu compromisso com as proposições apresentadas pela Fiea, Fecomércio e Faeal, prometendo adotar “uma política tributária justa, que evite o fechamento de empresas”.

Na sabatina, Fernando Collor também discorreu sobre educação, segurança pública, tecnologia e agricultura familiar. Ele afirmou que, se eleito, estabelecerá permanente diálogo com as entidades de classe da indústria, comércio e agricultura para enfrentamento de todos os problemas do Estado.

“Sem o setor produtivo, em diálogo permanente, o governo não anda. Saibam os senhores que em nossa gestão, essa interlocução está assegurada”, declarou o candidato no encerramento da sabatina das eleições 2018.

Fonte FIEA